Novo fóssil é encontrado no interior de Candelária

Social
Tags

Foto: Carlos Nunes Rodrigues / Divulgação / CP

Pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e integrantes do Museu Municipal Aristides Carlos Rodrigues encontraram no interior de Candelária novo fragmento dos animais que habitaram a região na Pré-História. O bloco, contendo entre 30 e 40 centímetros de exposição óssea, foi retirado em Linha Bernardino e encaminhado para o Museu Municipal, de onde será levado para o Laboratório de Paleontologia de Vertebrados da Ufrgs. O curador do museu, Carlos Nunes Rodrigues, informou que o pequeno osso aparentou ser compatível com a área de réptil, podendo até ser de dinossauro. Para confirmar a espécie do animal, a peça ainda precisa ser limpa e estudada por especialistas da Ufrgs. No entanto, a data da rocha já gera expectativas. “É um material datado do andar carniano, há 225 milhões de anos, um período muito procurado porque nessa época os dinossauros estavam se constituindo. Como não há nenhum elemento que mostre se tratar de algo conhecido, estamos bem otimistas”, disse Rodrigues. Além dele, trabalharam na descoberta Belarmino Steffanello, do museu, e os doutores em Paleontologia da Ufrgs Cesar Leandro Schultz e Agustin Martinelli, bem como três alunos da universidade. A limpeza e análise completa da peça pode demorar até um ano para a conclusão, dependendo do tipo de estudo que será feito. Outros materiais encontrados no município estão na fila de espera do laboratório, como um achado de Linha Facão. Há também itens que são estudados pela Universidade de São Paulo (USP). Após a conclusão das análises, as peças serão devolvidas ao município e ficarão em exposição no museu local.

Informações CORREIO DO POVO.