Publicado em: 09/05/2018

Expofred 2018 movimenta R$ 55 milhões e impulsiona a economia regional

 

A Expofred 2018 registrou números que demonstram a força do evento e a sua relevância para a economia regional. Em comparação com a Feira de 2016, a edição de 2018 alcançou um aumento de 35% no volume de comercialização durante a exposição, que somou aproximadamente R$ 22 milhões (mais precisamente R$ 21.767.000,00). Os números foram apurados no levantamento realizado pela equipe coordenada pela Comissão Setorial de Comunicação e Marketing da Expofred 2018.

Os negócios projetados a partir dos contatos proporcionados pela participação na Feira também registraram um grande crescimento, expressando o espírito otimista da economia regional. Para os próximos meses, estima-se que seja consolidado um volume de aproximadamente R$ 34 milhões (mais precisamente R$ 34.566.000,00). Em 2016, o volume projetado a partir do relacionamento com clientes iniciado na Feira foi de R$ 22 milhões).

EXPOFRED IMPRENSA

Números da Expofred

Comercialização durante a feira        R$ 22 milhões

Negócios projetados a partir da feira R$ 35 milhões

Visitantes durante os cinco dias        170 mil pessoas

Alimentos arrecadados                      1 tonelada

Volume de financiamentos                R$ 18 milhões* (*Soma dos valores Sicredi e Cresol)

Cursos e oficinas                                40

Palestras e eventos especiais              15

Estes dados foram fornecidos pelos expositores, em entrevista individual, realizada durante a tarde de terça-feira, 01 de maio, último dia da Feira. A Expofred 2018 é realizada pela ACIFW e Administração Municipal, juntamente com a AFRED, e segundo o presidente desta edição da Feira e também presidente da ACIFW, Paulo Dalmolin, “os números foram tão positivos que surpreenderam, pois considerando os resultados obtidos por feiras de outras regiões do estado, tivemos um crescimento médio de 35% acima do esperando, demonstrando que a Expofred saiu fortalecida na sua função de impulsionar o desenvolvimento da cidade”.

O prefeito José Alberto Panosso credita o sucesso da Feira à força dos empreendedores locais, que respondem aos investimentos realizados pela Administração Municipal, especialmente no setor primário e no apoio ao Comércio e à Indústria, criando condições para que as empresas estejam mais competitivas e gerem mais negócios, fortalecendo a economia integralmente.

E foi o setor primário que alavancou boa parte das comercializações durante a Feira. Dos quase R$ 22 milhões em vendas, mais de R$ 13 milhões foram para empresas do setor agro, com a comercialização de insumos, equipamentos e maquinário agrícola, representando 51% da comercialização.

O termômetro da economia aquecida também foi percebido junto às duas cooperativas de crédito com estande no Parque e que estavam encaminhando os financiamentos durante a Feira. A Cresol formalizou aproximadamente R$ 1 milhão em financiamentos de veículos, maquinários e equipamentos expostos na Expofred. Já a Sicredi Alto Uruguai RS/SC, com duas estruturas instaladas no Parque de Exposições, disponibilizou uma taxa de juros especial para o evento, resultando em mais de R$ 17 milhões em pedidos de financiamento protocolados até o dia 01 de maio, prazo máximo da taxa promocional.

Espaço garantido para a cultura e valorização dos artistas regionais

O volume de negócios impulsionados pela Expofred, que chegou a R$ 55 milhões neste ano, não traduzem toda a relevância do evento, que impacta a cultura e a disseminação do conhecimento. Os mais de 170 mil visitantes tiveram a oportunidade de participar de cinco dos principais shows nacionais e assistir a apresentações culturais com artistas locais e regionais. Foram aproximadamente 30 apresentações que valorizaram artistas como do Grupo Teatral Novos Loucos Poetas e Danilo Gregory, com o espetáculo infantil “A Enchente” e a Cia Teatral Sonharte.

Segundo a vice-presidente da Expofred, 2018, Simonia Gonçalves de Oliveira, “a projeção proporcionada a estes artistas junto ao público no Palco 2, certamente criará novas oportunidades para que eles se apresentem em outros eventos”. Simonia atuou em uma comissão que trabalhou intensamente para que a Feira contasse com recursos de incentivo à cultura, como a LIC. “Queremos agradecer as empresas que foram apoiadoras através da participação via LIC, pois desta forma ajudaram a enriquecer culturalmente o evento e também abriram as portas para que artistas da região tivessem seu reconhecimento”, reforça Simonia.

 

Oportunidade de aprender e conhecer novas tecnologias

Quem passou pelo Parque de Exposições Monsenhor Vitor Batistella durante a Expofred teve a oportunidade de aprender, com a intensa agenda organizada por entidades, em especial a Emater-RS/Ascar. Foram mais de 40 cursos e palestras durante os cinco dias, com temas como a Oficina Cortes de Carne Suína, de Cultivo de Orquídeas e sobre alimentos que potencializam a memória.

Outras entidades também se engajaram na Feira e promoveram eventos paralelos, como o Fórum Regional do Turismo,  Fórum de Cooperativismo e o Encontro de Jovens Rurais, entre os mais de 15 programações especiais.

De acordo com a coordenadora da Comissão de Eventos Paralelos, Simone Duarti, nesta edição da Feira houve uma importante integração de atrações paralelas, que atraiu milhares de visitantes durante o dia. “Boa parte dos 70 mil visitantes que passaram pelo Parque durante o dia veio para participar destes encontros e outros eventos programados, como a palestra com a presidente de Federasul, Simone Leite, e já aproveitaram para visitar os estandes e fazer negócio”, destaca Simone.

O acesso a novas tecnologias também foi destaque na Expofred, como a geração de energia solar ou a Via Tecnológica da Suinocultura, com a exposição de equipamentos nos estandes, possibilitando que produtores rurais da região tivessem contato com as novidades do setor.

Uma tonelada de alimentos será entregue às entidades

Toda esta movimentação irá gerar outros benefícios, como a destinação de 30% do valor arrecadado nos estacionamentos para as entidades parceiras que trabalharam na Feira, da mesma forma, ajudando, centenas de outros voluntários envolvidos com o evento nos últimos meses. Entidades assistenciais também serão contempladas com alimentos doados pelos visitantes, a partir da contribuição de um quilo de alimento pedido pelo benefício do acesso gratuito.  De acordo com secretária municipal de Assistência Social e Habitação, Carla Veronese, foi arrecadada mais de uma tonelada de alimentos não perecíveis doados ao Lar dos Idosos, Liga de Combate ao Câncer e a Comunidade Bárbara Maix.

Novos números serão divulgados

Nas próximas semanas, novos números retratarão a Expofred. Duas pesquisas realizadas pela UFSM durante e após a Feira revelarão o nível de satisfação dos visitantes e expositores. Também serão apurados os recursos da comercialização do estacionamento, bem como o resultado final da Expofred 2018, a qual vem implementando um formato de gestão que nas últimas edições não registrou déficit. “A sobra de caixa de 2016 foi fundamental para dar início aos trabalhos desta edição do evento, bem como possibilitou alguns investimentos no próprio evento”, esclarece o vice-presidente, Jamil Mezzalira.