Publicado em: 02/07/2020

Dr. Diego Dozza: “Devemos ter mais cuidado ainda com a saúde física e mental dos idosos”

Dr.Diego Dozza – Neurologista

A população com idade superior aos 60 anos está aumentando em todo o país e, apesar da faixa etária, ainda tem muito a oferecer para a comunidade, principalmente experiência de vida. Mas, para que isso seja possível, é preciso que estes homens e mulheres cuidem, em primeiro lugar, da sua saúde. Uma das formas de prevenção a ser seguida é com o médico geriatra, que já deve ser acompanhado desde os 45 anos de idade para realizar uma avaliação da saúde, evitando assim doenças que chegam com o envelhecimento. Na atual situação do mundo devemos ter mais cuidado ainda com a saúde física e mental dos idosos.

Um envelhecimento de qualidade só acontece a partir do momento em que as pessoas tenham alguns cuidados com a saúde, como por exemplo, não fumar, não beber, ter cuidados com a hidratação, pois isso faz com que muitas doenças sejam prevenidas ou retardadas, como é o caso da pressão alta, diabetes. Algumas doenças são mais frequentes na população idosa, então o especialista também avalia o paciente desde a sua função motora até a parte funcional (como memória, funcionamento adequado de todos os sistemas, orientações do calendário de vacinas, prática de exercícios).

Segundo os especialistas, uma academia, realizada de três a quatro vezes por semana, durante 20 a 30 minutos, já é o suficiente para prevenir diversos problemas de saúde que chegam com a idade. E, além de prevenir, o exercício ajuda a controlar doenças que o idoso pode ter e ajuda a reduzir problemas de hipertensão, diabetes, problemas de colesterol, ajuda a amenizar a depressão, diminui riscos de queda, prevenção de problemas na coluna, além de outros benefícios. Mas o exercício sempre deve ser acompanhado e indicado por um educador físico ou fisioterapeuta, pois muitos idosos acabam fazendo as academia ao ar livre com postura inadequada e isso pode causar lesões ao invés de benefício. Alimentação e vestuário adequados também são importantes. Os idosos não devem permanecer muito tempo com a roupa suada e devem trocá-la antes de deixar o ambiente da prática do exercício, principalmente no inverno. No verão é recomendada a prática do exercício no início ou no final do dia.

Para a memória deve-se praticar a leitura e atividades lúdicas como tocar um instrumento musical, pintura, desenho, jogos, etc. Manter sempre o cérebro ativo, mas obviamente sem que isso gere estresse ou ansiedade. Isso é chamado de reserva cognitiva, ou seja, quanto mais ocuparmos nosso cérebro, mas difícil será de ocorrer a perda de memória ou ocorrerá mais lentamente.

Além do cuidado com exercícios e acompanhamento médico, também deve-se adequar a casa em que o idoso mora. Colocar barras de apoio no banheiro, escadas, evitar móveis nos corredores e em locais de passagem e evitar tapetes, são alguns dos cuidados para evitar quedas e machucados que podem se transformar em problemas graves.

Com estas orientações, a qualidade de vida dos idosos tem melhorado, ampliando a sobrevida e “vivendo” mais o seu dia-a-dia, praticando atividades físicas, realizando reuniões com entidades, viajando, aproveitando mais a vida. O idoso tem que se manter ocupado, praticar exercícios, sempre com orientação de um especialista, ler um livro, nunca ficar recluso, levar uma vida normal. E com todas estas atividades pode-se, como sempre digo, envelhecer com saúde.

 

Passo Fundo – Rua Teixeira Soares 1117, sala 501, Ed. Palmeira Real, tel (54) 3622-2989/3622-2990

Palmeira das Missões – Rua Rio Branco 989, sala 301, Ed. Athenas, Tel (55) 3742-4909

Frederico Westphalen – Clínica Raimed, Rua Tenente Portela 435, tel (55) 3744-3100