Publicado em: 12/11/2019

Dinheiro apreendido em Novo Hamburgo estava em casa que servia como “caixa-forte” de facção

Foto: Brigada Militar / Divulgação

O dinheiro apreendido durante uma ação da Brigada Militar (BM) – R$ 1,4 milhão – foi encontrado em uma casa que servia como “caixa-forte” da organização criminosa Os Manos. A quantia, que seria oriunda do tráfico de drogas, foi encontrada na Travessa das Artes, no bairro Canudos. O flagrante feito pela Força Tática do 3º Batalhão da Polícia Militar teve início ainda na tarde dessa segunda-feira e se estendeu até a madrugada desta terça. Três homens foram presos, sendo que um deles foi identificado como o “contabilista” dos recursos financeiros. Na ocorrência, os policiais militares recolheram ainda uma pistola calibre 40 e documentação, além de uma caminhonete Chevrolet Montana, um Peugeot 408 e um Fiat Palio.

A descoberta do dinheiro ocorreu a partir da prisão de um homem de 30 anos, que estava com uma sacola de dinheiro na Montana. A maior parte da quantia, no entanto, foi localizada dentro da residência, guardada em malas. Em seguida, na rua Bananal, que fica no mesmo bairro, outro cúmplice, de 36 anos, foi encontrado. Ele foi detido também com dinheiro no Peugeot 408.

O terceiro criminoso, de 32 anos, tentou fugir em um Fiat Palio e foi perseguido até a rua Pedro Rodrigues Machado, no bairro Floresta, em Estância Velha. Na sequência, ele abandonou o carro e tentou fugir a pé, mas foi alcançado. Na residência deste suspeito, os policiais militares apreenderam uma pistola que pertence à BM e que havia sido roubada de um PM em Porto Alegre.

O comandante do 3º BPM, tenente-coronel Márcio Uberti Moreira, avaliou que a ação foi “um trabalho de inteligência policial muito bem planejado e executado”. O oficial explicou que faz parte de “um projeto e processo maiores de gestão, em execução há quase três anos”. Lembrando a rotina de prisões e apreensão de armas e drogas pelo batalhão, ele avaliou que a descapitalização dos criminosos faz com que os indicadores de criminalidade se reduzam como consequência. “A operação foi um sucesso em todos os sentidos. Podemos dizer que foi mais um golpe, desta vez mais incisivo. Tudo indica que se trata de dinheiro que seria lavado, usado para pagamentos e fortalecimento da facção. São vitórias nesta batalha diária que nos permitirão vencer a guerra”, declarou.

O tenente-coronel Márcio Uberti Moreira assegurou que a ampliação das ações de policiamento ostensivo será mantida e que continuará o fortalecimento da inteligência policial. “Cada vez mais iremos buscar enfraquecer o crime organizado, sem descuidar-se dos bairros, ruas e cidadãos da nossa cidade”, garantiu. O comandante do 3º BPM salientou ainda que “a capacidade profissional, a honestidade, a dedicação e a forma alinhada com o comando deste brigadianos e brigadianas do batalhão”. Para ele, é “um orgulho comandar tropa de tão alto gabarito e profissionalismo”.

Com informações do Correio do Povo