Publicado em: 10/11/2020

Crimes de caça ilegal de animais silvestres são reprimidos nos municípios de Tenente Portela e Vista Gaúcha

POLÍCIA CIVIL

POLÍCIA CIVIL – DEIC – DINC – DEMA promoveram a OPERAÇÃO DERRUBADAS

Polícia Civil deflagrou, na manhã desta terça-feira (10), a OPERAÇÃO DERRUBADAS com o objetivo de reprimir a prática do crime de caça ilegal de animais silvestres nos municípios de Tenente Portela e Vista Gaúcha . A ação foi realizada pela Delegacia Especializada de Proteção e Defesa do Meio Ambiente (DEMA), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC).

Foram cumpridos seis mandados de busca, resultando na apreensão de acessórios para rinhas (biqueiras, esporas, temporizadores, cronômetro, anotações e medicamentos), 33 galos de rinha, 01 espingarda cal.36, 01 espingarda cal.20, duas espingardas de pressão, cartuchos (cal. 20, cal.36, cal.16. cal.22 e cal.38), apetrechos e insumos para recarga, aves silvestres (caturritas, pintassilgo, coleiro, azulão), apetrechos para captura de animais silvestres (alçapão, arapuca), 02 simulacros de arma de fogo, carne de caça (tatu, veado, quati, capivara e juruti), redes e tarrafas de pesca, além de um silenciador.

Segundo a Delegada Marina Goltz, os mandados foram cumpridos em Tenente Portela e Vista Gaúcha . “A investigação teve início em outubro de 2019 a partir de denúncia de caça ilegal e uso de armamentos e/ou acessórios ilegais, tais como silenciadores. Conforme denunciado, os integrantes do grupo criminoso reúnem-se para caçada ilegal de animais silvestres na região de Tenente Portela e Derrubadas, neste Estado, ocasiões em que caçam indiscriminadamente animais da fauna silvestre, armazenando as carcaças dos animais abatidos, em suas residências, além de guardarem fotografias dos animais e as exibirem como troféu. ”, relata a delegada.

Também foi efetivada, em Tenente Portela, a prisão de 03 homens, sendo duas pelo Art. 12 da Lei 10.826, e a terceira pelo Artigo 16 da Lei 10.826.

Os investigados poderão responder pelos crimes previstos nos artigos 29 da Lei 9.605/98, com penas de detenção de 6 (seis) meses a 1 (um) ano, e multa. A ação contou com o apoio da Delegacia de Polícia de Tenente Portela, e dos policiais da 10ª Região Policial e 22ª Região Policial, bem como da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (SEMA) e ARPA.