Publicado em: 17/10/2019

Cineasta carioca Christian Jafas será homenageado pelo 5º Festival de Cinema de Três Passos

Arquivo pessoal

O 5º Festival de Cinema de Três Passos, que acontece de 05 a 09 de novembro de 2019, vai homenagear o cineasta carioca Christian Jafas, especialmente pelo seu trabalho, contribuição ao cinema nacional, sensibilidade, engajamento e cumplicidade com os propósitos e cenário, que significam o Festival desde a sua origem em 2013. Graduado em Comunicação Social pela UFRJ e com formação complementar em cinema, Christian Jafas trabalha com audiovisual desde 1994 tendo roteirizado e dirigido mais de 300 programas de TV. O interesse pelo cinema documental surgiu após participar, como diretor de fotografia e câmera, dos documentários Mário Carneiro: Artista Brasileiro (2005), Chico Anysio é (2007), e Augusto Boal e o Teatro do Oprimido (2011).

A estreia como diretor de documentário aconteceu com o premiado Cine Paissandu: histórias de uma geração (2014), selecionado para 62 festivais nacionais e internacionais. Com a carreira focada na produção documental, lançou Herança Social (2016) e De volta pra casa (2017). Atualmente dedica-se ao longa-metragem “Cine Globo: uma vida de cinema”, em fase de finalização.

Em 2019, em paralelo às atividades profissionais no cinema, concluiu a Especialização em Comunicação & Saúde, na Fiocruz, e ingressou no Mestrado acadêmico em Cinema & Audiovisual na UFF – Universidade Federal Fluminense, com o projeto de pesquisa “Cine Globo de Três passos: uma história de resistência”. Christian Jafas, com o documentário Cine Paissandu: histórias de uma geração, foi o primeiro diretor a marcar presença no Festival de Cinema de Três Passos em 2014, juntamente com Luana Ramos Dias. A partir de então, a história de resistência do Cine Globo – raro cinema de calçada que completava 60 anos de atividades ininterruptas, os propósitos de um Festival que nascia com características singulares, a comunidade e sua relação com o cinema, estabelecem o início da conexão entre o cineasta e Três Passos. Retorna em 2015, ministra a Oficina “Introdução ao Documentário: história e possibilidades”, em agosto, e integra o Júri Oficial do 2º Festival de Cinema de Três Passos, em novembro.

Em 2016, com Henrique Lahude, ministra Oficina Mãos à Obra Projeto #Cidade Cinematográfica em outubro, roda o documentário sobre um símbolo de resistência, que reinventa a cada dia um jeito de continuar sua atividade – o Cine Globo e participa do Festival com o curta Herança Social. No 4º Festival de Cinema de Três Passos/2018, estreia o documentário Cine Globo: uma vida de cinema – dirigido em conjunto com Carlos Roberto Grün e atua como jurado. Este ano, mais uma vez estará compartilhando experiências durante o festival de Três Passos, no mês de novembro.