CIGRES instala balança eletrônica

Social
Tags

DIVULGAÇÃO

Uma balança rodoviária está sendo instalada junto ao principal acesso, ao lado da portaria, do Consórcio Intermunicipal de Gestão de Resíduos Sólidos (CIGRES), localizado no km 43 da BR 386, em Seberi. A estrutura tem custo de R$ 137mil. A previsão é que a nova balança entre em operação no início do próximo mês.

Segundo Antônio Mauro Cadorin, engenheiro agrônomo coordenador do CIGRES, as aquisições foram efetivadas após licitação (Processo Administrativo Licitatório 006/2017, na modalidade Pregão Presencial (004/2017). Cadorin disse que havia necessidade de adquirir uma balança eletrônica para pesagem do volume de resíduos sólidos produzidos pela população dos municípios consorciados ao CIGRES e a pesagem de materiais triados, tendo assim a precisão e transparência na pesagem.

A balança rodoviária eletrônica, totalmente metálica, é instalada sobre piso, com rampas, software para gerenciamento de controle de pesagem, com auto diagnóstico digital.  A balança vai suportar, no mínimo 80 toneladas e tem 18 metros de comprimento, por 3 metros de largura.

CIGRES

O CIGRES recebe entre 35 a 50 caminhões de lixo diariamente, material que é separado nos pavilhões de triagem. Parte do lixo é reciclado é comercializado para empresas do Rio Grande do Sul – a maioria -, além de Santa Catarina e Paraná. O restante do material é colocado nos aterros sanitários. “No CIGRES também estamos produzindo adubo orgânico, que é comercializado na região”, observa Cadorin. O CIGRES está instalado em 3 mil metros quadrados de construções, sendo que a área total do empreendimento chega a 30 hectares.

São 80 pessoas que trabalham no local. As atividades iniciam às 4h30min e encerram às 23h15min. Segundo a administração, 1/3 do dinheiro necessário para manter a estrutura e pagar os funcionários provêm da venda de material reciclado. Cada município participam com recursos mensais, levando em conta a quantidade de lixo entregue no local. A maior quantidade de lixo é oriundo de Frederico Westphalen e de Tenente Portela.

Cadorin anunciou, ainda, que estão sendo tomadas as providências necessárias a fim de ampliar o aterro sanitário, sempre seguindo a legislação ambiental. Ele disse que uma nova área para o aterro foi licenciada, sendo que o aterro é revestido com gel/manta, o que evita a contaminação da área interna do CIGRES e também áreas das imediações do consórcio.