Publicado em: 09/05/2019

Catedral Santo Antônio de Frederico Westphalen é reformada

Principal ponto turístico e religioso de Frederico Westphalen, a Catedral Santo Antônio está sendo reformada. O trabalho segue intenso. Os trabalhos de recuperação do reboco externo, melhorias internas e implantação do estacionamento lateral, além de outras obras, devem seguir até julho de 2020. Paralelamente, ocorre a reforma da cripta e do Cine Floresta, estruturas que fazem parte do complexo da Catedral Diocesana. As obras executadas por uma empresa local são custeadas com recursos arrecadados por meio de campanha realizada no município.

O projeto de reforma prevê restauração, pintura externa, conserto do relógio (máquina e iluminação), automatização do sino, impermeabilização do telhado, climatização e troca das cadeiras no Cine Floresta, reforma e pintura da cripta, climatização da catedral, restaurações da pintura interna, restauração e incremento da arquitetura sacra, reabertura das portas que dão acesso lateral, substituição dos bancos, instalação de energia solar e construção de estacionamento na lateral da igreja.

O prédio foi inaugurado no dia 30 de janeiro de 1960, após quase dez anos de trabalho, com envolvimento direto dos primeiros moradores, a maioria pequenos agricultores. Há 15 anos, a catedral também passou por reforma e, posteriormente, recebeu uma pintura nova. Segundo o pároco Leonir Fainello, as obras tiveram início em julho do ano passado e seguem dentro do previsto, assim como a campanha de arrecadação de recursos. “A catedral é muito importante para o município e região e destacamos aqui o envolvimento da população.” A campanha é regulada por um software, que vai controlar as entradas e saídas de recursos.

Energia solar

A catedral se tornará, ainda, referência em inovação, pois funcionará com gerador de energia solar, que irá suprir a demanda de eletricidade de toda estrutura. Para não impactar na estética da catedral, os 144 painéis fotovoltaicos foram instalados no telhado do salão paroquial, nos fundos da igreja, com uma estrutura adaptada para proporcionar o melhor aproveitamento possível da luz solar.

De acordo com o designer fotovoltaico, Marcos Roberto Bruxel, proprietário da empresa responsável pelo projeto e instalação do sistema na catedral, todos os painéis foram presos com reforço, garantindo melhor segurança em caso de vendavais. Segundo Bruxel, a potência instalada da usina solar fotovoltaica é de 47,52 quilowatts pico (kWp), com uma produção estimada de 61.896 quilowatts hora (kWh) por ano.

“Além de economizar na conta de luz, o gerador solar da catedral proporcionará um impacto ambiental positivo, com uma redução da emissão de 62 toneladas de dióxido de carbono (CO2) por ano, que equivale a 170 árvores poupadas/ano e a 15,41 toneladas equivalentes a petróleo (TEP) por ano”, acrescenta o designer fotovoltaico.

COM INFORMAÇÕES DO CORREIO DO POVO