Publicado em: 23/08/2019

Agricultura familiar é grande produtora de matéria-prima para Biodiesel

Em um período onde a sustentabilidade está em evidência, alternativas que possam beneficiar o meio ambiente são sempre bem-vindas. E se isso proporcionar mais renda para os agricultores e agricultoras familiares, melhor ainda. O Biodiesel é um grande exemplo disso.  Atualmente, a mistura do diesel que chega até as bombas deve conter, obrigatoriamente, 11% de biodiesel, valor que deverá aumentar nos próximos anos. Pensando justamente no aumento da demanda, a agricultura familiar passa a ter um importante papel na produção de um combustível mais limpo e biodegradável. Podendo ser produzido a partir de diversas matérias-primas, e sendo a soja uma delas, o Rio Grande do Sul, grande produtor da oleaginosa, assume um lugar de destaque para a produção.

No ano de 2004, foi criado o Selo Combustível Social, concedido para empresas produtoras de Biodiesel que atendam a uma série de requisitos, dentre eles a compra de 40% de sua matéria prima dos agricultores familiares. Agora, a intenção do MAPA é facilitar o processo de venda da matéria prima do agricultor familiar para as indústrias.

Já está em vigor o conceito criado pelo MAPA da “cooperativa agropecuária habilitada”, que permite a participação de qualquer cooperativa que tenha em seus quadros agricultores familiares possuidores da DAP (Declaração de Aptidão ao Pronaf, Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), e que esteja habilitada como fornecedora de matéria-prima para produtores de biodiesel.

Hoje, está em andamento no Brasil o Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel – PNPB,que objetiva a implementação de forma sustentável, tanto técnica, como econômica, da produção e uso do biodiesel, com enfoque na inclusão social e no desenvolvimento regional, via geração de emprego e renda. Para esclarecer sobre o programa, o ex-ministro, e ex-secretário da agricultura do Rio Grande do Sul, Odacir Klein, fará palestra sobre o tema na Expointer durante o lançamento da Revista Panorama Legal – Efeitos Positivos da Produção de Biodiesel.